Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

estrategiaeexcelencia

estrategiaeexcelencia

VOCÊ SABIA?

94fa6af7a91efc51bf547382627f2c59_logovcsabia.pngVamos então para mais algumas curiosidades interessantes....

- É verdade que as impressões digitais se formam quando o bebê toca o útero da mãe?

De acordo com Wilson Carrara, médico especializado em ginecologia e medicina fetal, as impressões digitais são formadas no feto ainda na barriga da mãe, mas nada têm a ver com a maneira como toca o útero. “As digitais podem ser comparadas aos traços do rosto ou a qualquer outra herança física e são determinadas exclusivamente pela formação genética do bebê”, explica o especialista. Segundo Carrara, independentemente das atividades que as pessoas realizam durante a vida, por mais que as mãos fiquem calejadas, as impressões jamais se alteram. 

- Em que situações o bebê chora?

O choro do bebê é uma forma de expressão. A opinião é do médico pediatra Jarbas José Salto Júnior. O bebê se manifesta em qualquer situação de incômodo. "Basta ele não estar satisfeito com algo, que começa a chorar”, explica o médico. Fome, sede, frio, calor e sono fazem o bebê chorar. Os incômodos causados pela urina e fezes em contato com o corpo ou qualquer tipo de dor também provocam o choro do bebê. 

- Por que o bebê chora sem lágrimas? Quando elas começam a aparecer?

As lágrimas, responsáveis pela lavagem e lubrificação dos olhos, só começam a ser produzidas a partir dos dois meses de idade. Antes disso, o bebê realmente chora "a seco". Nesses primeiros 60 dias de vida, o que protege os olhinhos do bebê é o fato de ele passar a maior parte do tempo dormindo. 

- Por que os bebês regurgitam?

Nos primeiros meses de vida, o aparelho digestivo da criança ainda não está totalmente formado. Embora o estômago funcione perfeitamente, o esfíncter gastroesofágico – uma válvula situada entre o esôfago e o estômago, que normalmente se fecharia após a passagem do alimento – não funciona como num adulto. Por isso é normal a criança regurgitar, deixando o alimento voltar ao esôfago e ser expelido em seguida. Em geral, o aparente incômodo pára de acontecer entre os seis e os 18 meses de vida.

Por hoje é tudo....até a próxima!