Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

estrategiaeexcelencia

estrategiaeexcelencia

E POR FALAR EM ORGANIZAÇÃO...

2014-719492674-2014-718999868-portraitbigweb2_2014No início desta semana, começamos de forma humorada dizendo que muita gente é cinestésica, ou seja, pessoas que se preocupam mais com o CONFORTO, mesmo que as coisas estejam desorganizadas, desde que se encontrem confortáveis, não ligam para isso....no entanto, existe um estudo que prova que a desorganização atrapalha o funcionamento de cérebro e provoca muito estresse! Já pensou nisso? 

Se você é uma pessoa que se acha DESORGANIZADO, leia com atenção esta matéria que encontrei no site:

http://extra.globo.com/

O fim de semana chega e é hora de tentar pôr ordem à bagunça acumulada durante toda a semana. Se essa tem sido sua rotina nos dias de folga — e mesmo assim, o problema parece nunca chegar ao fim —, melhor rever seus hábitos. Segundo especialistas, viver em meio à desorganização gera estresse e perda de tempo, o que interfere diretamente no bem-estar e na qualidade de vida.

Segundo o neurologista Leandro Teles, membro da Academia Brasileira de Neurologia, ser organizado facilita o trabalho do cérebro, pois permite que ele tenha previsibilidade para executar tarefas.

— Quando está tudo embaralhado e alguém procura algo, o cérebro gasta tempo e performance para achar o que se quer. Com isso, ele fica cansado e há queda de rendimento em atividades que exigem mais energia, como tomada de decisões, por exemplo — diz o médico. — Se o ambiente está arrumado, a pessoa já parte do meio do caminho. Isso traz tranquilidade, gera serotonina (neurotransmissor) e controla o bem-estar.

Sendo assim, anote aí algumas dicas importantes:

1. Busque um motivo para praticar a organização. Comece decidindo o que deve ser descartado.

2. Curta o silêncio:evite ouvir músicas ou ver televisão enquanto organiza para aumentar a concentração.

3. Utilize ferramentas que facilite a organização, como uma agenda para alistar as atividades do dia.

4. Separe os ítens que sobrarem por categorias e doe roupas e objetos que não tenham mais utilidade.

5. Identifique suas prioridades e aprenda a dizer não ao que não é urgente.

6. Faça tudo de uma vez: escolha começar o quanto antes e arrume todo espaço em um único momento, deixando todos os objetos visíveis.

7. Evite fazer várias coisas ao mesmo tempo em vez de tentar ser "multitarefas"o que é prejudicial ao cérebro, procure se envolver com uma atividade de cada vez, com mais profundidade para dar resultados de maior qualidade.

8. Simplifique a vida em vez de complicá-la: agende o pagamento das contas para débito automático e planeje um caminho para resolver vários problemas em uma única rota, por exemplo.

9. Delegue tarefas para evitar a sobrecarga e, consequentemente, a desorganização resultante da incapacidade de lidar com todas elas.

De acordo com a psicoterapeuta holística e hipnóloga Myriam Durante, toda bagunça é resultado de uma procrastinação que, em geral, se deve a alguma insatisfação.

— Se as pessoas não estão felizes, elas ficam empurrando tudo com a barriga — afirma a especialista em comportamento humano.

Para as crianças, organização é fundamental para o aprendizado. Estudar em ambientes desarrumados dificulta a concentração em uma só tarefa, o que atrapalha a consolidação de informações no cérebro.

— Os pequenos pegam o exemplo dos pais. Não adianta dizer a eles para manter o quarto impecável se o resto da casa está bagunçado — diz Myriam Durante.

PENSEM NISSO......

A IMPORTÂNCIA DAS PLANTAS....

Chá-de-Arruda.jpg

A incrível ARRUDA!

Nome científico: Ruta graveolens L. 

Família: Rutaceae. 

Sinônimos botânicos: Ruta hortensis Mill. 

Outros nomes populares: arruda-doméstica, arruda-dos-jardins, ruta-de-cheiro-forte, ruda; rue, common rue, garden rue, german rue, herb-of-grace, countryman's treacle, herbygrass, aruta, somalata, sadab, weinraute. 

Constituintes químicos: alcalóides, ácido salicílico livre, álcool metilnonílico e seus ésteres combinados aos ácidos acético e valeriânico, bergapteno, chalepeusina, cineol, cocusaginina, cumarinas, dulcite, esquiamianina, éter metílico do ácido metilantranílico, fenóis, flavonóides, furocumarina, graveliferona, hesperidina, heterosídeos antociânicos, hidrocarbonetos, hibalactona (na raiz), lactonas, limoneno (raízes, principalmente), matérias resinosas e pépticas, metilnonilcetona, metilnoilcarbinol, óleos voláteis, óleo essencial (0,07 a 0,09%), pineno, -pipeno, psoraleno, quercitina, ribalinidina, rubalinidina, rutacridona, rutalidina, rutalinium, rutamarina, rutamina, rutaretina, rutina, salicilato de metila, xantotoxina.

Propriedades medicinais: abortiva, adstringente, analgésica, antiasmática, antiepiléptica, antiespasmódica, anti-helmíntica, anti-hemorrágica, anti-histérica, antiinflamatória, antinevrálgica, anti-reumática, antitetânica, aperitiva, aromática, calmante, carminativa, diaforética, emenagoga, estimulante, estupefaciente, febrífuga, fortificante dos nervos, repelente, sudorífica, tônico para circulação, tranquilizante, vermicida. 

Indicações: afecção dos rins, alterações menstruais, ansiedade, asma brônquica, bexiga, calvície, cefaléia, ciática, clerose, conjuntivite, derrame cerebral, dermatite, dores de ouvido, dor intestinal, enxaqueca, flebite, fígado, fragilidade dos capilares sanguíneos, gases, gota, hemorróidas, hipocondria, inchaço nas pernas, incontinências de urina, inflamação, inflamação nos olhos, insônia, limpeza de feridas, nevralgia, olhos cansados, onicomicose, otite, ouvido (feridas e zumbido), nevralgias, normalização das funções do ciclo menstrual (menstruação escassa), paralisia, parasitas (piolhos e lêndeas), pneumonia, prisão de ventre, repelente de insetos (pulgas, percevejos, ratos), reumatismo, sarna, varizes, vermes (oxiúros e ascárides).

Parte utilizada: folhas, flores. 

Contra-indicações/cuidados:

CUIDADO: TÓXICA. É venenosa e abortiva. Contra indicada para gestantes, lactantes, hemorragias, cólica menstrual e sensibilidade na pele. Doses elevadas do chá podem causar vertigens, tremores, gastroenterites, convulsões, hemorragia e aborto em mulheres grávidas, hiperemia dos órgãos respiratórios, vômitos, salivações, edema na língua, dores abdominais, náuseas e vômitos, secura na garganta, dores epigástricas, cólicas, arrefecimento da pele, depressão do pulso, contração da pupila e sonolência. Pode causar fitodermatites, através de um mecanismo fototóxico que torna a pele sensível à luz solar. Nas mulheres pode levar a hemorragias graves do útero. 

Modo de usar:

- infusão de 2 g a 3 g de folhas secas/litro de água. Ingerir 2 xícaras das de chá ao dia; 

- maceração de 1 colher das de café de folhas frescas em 1 xícara das de café de água quente. Cobrir e deixar macerar por 5 minutos. Tomar 3 vezes ao dia; 

- decocção de 100 g da planta fresca em ½ litro de água. Uso externo: lavar os olhos: conjuntivite; 

- decocção de 2 colheres das de sopa de folhas em ½ litro de água por 5 minutos (uso externo). Coar, esperar amornar e aplicar compressas de algodão várias vezes ao dia sobre os olhos; cataplasma: varizes e flebite; 

- sumo: 3 gotas do sumo em 1 gota de álcool. Pingar 2 gotas em cada ouvido; 

- pó das folhas secas: 0,5 a 2g/dia; 

- clister: cozinhar 8 a 10 g de folhas por litro de água: parasitas intestinais; 

- extrato fluído: de 6 a 25 gotas, 2 a 3 vezes por dia; 

- tintura: 2 a 10ml/dia; 

- 1 copo de folhas frescas picadas em 1 litro de álcool. Deixar por uma semana: sarna; 

- xarope: 10 a 40ml/dia; 

- essência: 1 a 7 gotas/dia; 

- azeite: 20 g de folhas frescas/litro de azeite. Administrar 2 a 3 colheres das de chá por dia: vermes; 

- infusão de 20 g de folhas/litro de água quente: parasitas capilares e sarna.