Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

estrategiaeexcelencia

estrategiaeexcelencia

AULA DE DIREITO......

refletir 

Uma manhã, quando nosso novo professor de "Introdução ao Direito" entrou na sala, a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila:

- Como te chamas?

- Chamo-me Juan, senhor.

- Saia de minha aula e não quero que voltes nunca mais! - gritou o desagradável professor.

Juan estava desconcertado. Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala. Todos estávamos assustados e indignados porém ninguem falou nada..

- Agora sim! - e perguntou o professor - para que servem as leis?...

Seguíamos assustados porém pouco a pouco começamos a responder à sua pergunta:

- Para que haja uma ordem em nossa sociedade.

- Não! - respondia o professor.

- Para cumpri-las.

- Não!

- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.

- Não!!

- Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?!

- Para que haja justiça - falou tímidamente uma garota.

- Até que enfim! É isso.... para que haja justiça. E agora, para que serve a justiça?

Todos começávamos a ficar incomodados pela atitude tão grosseira. Porém, seguíamos respondendo:

- Para salvaguardar os direitos humanos...

- Bem, que mais? - perguntava o professor.

- Para diferençar o certo do errado... Para premiar a quem faz o bem...

- Ok, não está mal porém... respondam a esta pergunta: agi corretamente ao expulsar Juan da sala de aula?...

Todos ficamos calados, ninguem respondia.

- Quero uma resposta decidida e unânime!

- Não!! - respondemos todos a uma só voz.

- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?

- Sim!!!

- E por que ninguem fez nada a respeito? Para que queremos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para pratica-las?

- Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos. Não voltem a ficar calados, nunca mais!

- Vá buscar o Juan - disse, olhando-me fixamente.

Naquele dia recebi a lição mais prática no meu curso de Direito.

Quando não defendemos nossos direitos perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia.

(Recebido sem citação de autoria)

Texto enviado gentilmente por minha querida amiga, Cilene.......

 

ALERTA MUITO IMPORTANTE!!!

Se você já sabe desta informação, não custa nada compartilhar com os amigos....é mesmo muito importante este ALERTA DOS BOMBEIROS!

Já passei pelo exercício de apagar  fogo em óleo quente e confesso que é um dos fogos mais difíceis de serem  apagados.

A dica é a mais prática e  simples, além do forte aviso de não se utilizar  água  para apagar este tipo  de fogo. 

Mas  a principal dica é: caso  não saiba exactamente o que fazer, evacue a  área de incêndio e  chame os Bombeiros para tratarem do assunto.

Não  se meta a fazer o que  não sabe, sob pena de risco de  morte. Como apagar fogo em óleo  quente: 

É  bom saber como agir.

Caso  se esqueça da panela ou frigideira com óleo e   o óleo ou azeite comece a  arder, NÃO ENTRE EM  PÂNICO.

Siga as instruções abaixo. Repasse aos seus amigos, ensine  seus empregados, mostre aos seus  filhos. 

1.  DESLIGUE O FOGÃO;

2.  MOLHE um pano, torça-o COMPLETAMENTE, retirando o excesso de água, para  que este NÃO PINGUE;

3.  Coloque o pano sobre a panela/frigideira e espere até que tudo volte ao  normal (não saia mais  vapor);

4.  NUNCA TENTE MOVER A PANELA ou a  FRIGIDEIRA;

5.  NUNCA DEITE ÁGUA - NUNCA DEITE ÁGUA - NUNCA DEITE ÁGUA - NUNCA DEITE  ÁGUA, pois os  respingos carregarão fogo e os efeitos são devastadores.

UM HOMEM LEMBRADO POR SUA CURIOSIDADE....

publicidad

● Como você gostaria de ser lembrado? O que passará pela cabeça das pessoas quando pensarem em você? Motivados pelo desejo de deixar algo de valor para as gerações futuras, muitos se esforçam para se destacar nos campos da ciência, política, esportes e artes. Mas e se você fosse lembrado principalmente pelas perguntas que fez?

Quinhentos anos atrás, um homem na América Central fez muitas perguntas intrigantes. Ele era um chefe indígena chamado Nicarao. Pelo visto, essa é a origem do nome “Nicarágua”. Com o tempo, o nome Nicarao passou a identificar, entre outras coisas, a tribo de seu povo, a terra onde ele viveu e o grande lago deles.

Nicarao e sua tribo moravam na faixa de terra entre o oceano Pacífico e o imenso lago Nicarágua. Logo depois de Colombo descobrir o Novo Mundo, os espanhóis partiram para explorar essa região. O capitão Gil González Dávila levou suas tropas em direção ao norte do que hoje é a Costa Rica e chegou à terra de Nicarao em 1523.

Imagine a apreensão dos exploradores à medida que viajavam para um território desconhecido. Como devem ter ficado felizes ao se encontrar com o Chefe Nicarao! Com a generosidade que continua sendo a marca registrada da cultura nicaraguense, o povo deu aos espanhóis boas-vindas e presentes, incluindo uma grande quantidade de ouro.

Nicarao queria respostas às perguntas sobre as quais ele havia meditado muito. Surgiram outras perguntas por causa da visita dos espanhóis. Cronistas relatam que ele perguntou ao capitão González:

Você já ouviu falar de um grande dilúvio que destruiu todos os humanos e animais? Deus vai inundar a Terra de novo? O que acontece depois da morte? Como o Sol, a Lua e as estrelas se movem? Como eles ficam suspensos no céu? Eles estão muito longe? Quando o Sol, a Lua e as estrelas vão parar de brilhar? De onde vem o vento? O que causa o calor, o frio, a luz e a escuridão? Por que a duração dos dias varia durante o ano?

Fica claro que Nicarao estava ansioso para conhecer o mundo a sua volta. Suas dúvidas nos dizem muito sobre suas crenças religiosas. Revelam que ele tinha interesses e preocupações similares aos de muitas pessoas hoje. E o fato de Nicarao e seu povo terem conhecimento de um grande dilúvio nos lembra do relato bíblico. — Gênesis 7:17-19.

Embora a cultura de Nicarao estivesse cheia de espiritismo e rituais de sacrifícios humanos, ele estava preocupado com a conduta e modo de vida de seu povo. Suas perguntas revelam o funcionamento da consciência. Sobre isso, o apóstolo Paulo escreveu: “Sua consciência lhes dá testemunho e nos seus próprios pensamentos são acusadas ou até mesmo desculpadas.” — Romanos 2:14, 15.

Hoje, há uma estátua do Chefe Nicarao perto do local onde supostamente ele encontrou pela primeira vez os exploradores espanhóis. Sua curiosidade, que o motivou a pensar profundamente sobre a vida e o mundo a sua volta, pode também servir de exemplo para nós. — Romanos 1:20.

(Fonte: Revista Despertai)

Pág. 5/5